O PADR tem disponibilizado anualmente duas vagas para alunos africanos originários de regiões onde se fala a língua Portuguesa. Como resultado, temos recebido alunos de procedência de Guiné-Bissau, Cabo Verde e Angola.

Desde o ano de 2017, a Pró-reitoria de Pós-Graduação da Universidade Federal Rural de Pernambuco (PRPPG/UFRPE), está incentivando a publicação internacional através de disponibilização de verba para publicação de artigos que são aceitos em periódicos, mas precisam pagar uma taxa de publicação. A Pró-Reitoria disponibiliza o reembolso do pagamento dessa taxa, mas determina que apenas sejam contemplados artigos em revistas com estrato superior. Além disso, a PRPG também realiza reembolso para revisão de texto em inglês. Essas medidas permitem que os Programas de Pós-graduação da UFRPE invistam em publicações internacionais, as quais possuem maior pontuação Qualis e também avaliam os artigos de forma mais rápida em relação às revistas brasileiras. O PADR tem utilizado esse recurso para ampliar as publicações internacionais o que já é observado no início do quadriênio com a publicação de um artigo no estrato A1 e outro no estrato A2, bem como publicação de dois artigos A1 em 2018 e um artigo A1 em 2020.

Vale salientar que existe uma tendência crescente de publicação de artigos em idiomas estrangeiros. Em 2012 apenas 3% das publicações eram internacionais. Atualmente, o PADR aproxima-se de 70% de publicações TOP 4 em periódicos internacionais ou indexado em bases internacionais. Mais de 90% do corpo docente permanente é revisor de periódicos internacionais e 100% são revisores de periódicos nacionais.

De acordo com os dados extraídos do SCIVAL (Elsevier) 17% dos artigos publicados pelos nossos docentes obtiveram colaboração com pesquisadores ou instituições estrangeiras. 31% dos artigos resultaram em colaboração com outras instituições. Destaca-se a publicação de artigos em conjunto pesquisadores da  National University of Ireland, University of Limerick, Dublin City University, University of East London e University of Groningen (Holanda). Os docentes do programa obtiveram 35 publicações na base do SCOPUS, somando 121 citações, com  média de 3,5 citações/artigo. .

O Prof. Marcelo Luiz Monteiro Marinho atuou como membro do comitê das conferências internacionais: “EAI International Conference on Design, Learning & Innovation” e “IEEE International Conference on Systems, Man, Cybernetics”. Além de participar como revisor de periódicos internacionais, tais como: Project Management Journal, International Journal of Agile Systems and Management, Journal of Systems and Software e Information and Software Technology. Em 2018, Prof. Marcelo Luiz Monteiro Marinho realizou seu Estágio Pós-doutoral na Universidade de Limerick (Irlanda). Como resultado do seu estágio, o Prof. Marcelo publicou três artigos em parceria com pesquisadores da Universidade de Limerick em conferências internacionais.

O Professor Rodolfo Araújo possui dois projetos de extensão no âmbito internacional que são: “Investigação e Difusão da Educação Profissional no Cenário Português” e “Apoio ao Desenvolvimento da Educação Rural na Mauritânia”.

Em 2018, o PADR através do prof. André Melo e do prof Tales Vital participaram do Fórum das Secas em julho e agosto de 2018 que é um evento mensal promovido pelo SEBRAE que contou com a participação da UFRPE representado pelos professores do PADR e da Pós-graduação em Zootecnia, SUDENE, IPA, Agência Pernambucana de Águas. Esse evento culminou com a realização da visita do prof. Antonie Geyer da University of Free State (UFS) e da África do Sul ao PADR. Nessa oportunidade, está em andamento a formação de um termo de cooperação internacional entre a UFRPE e a UFS.

No mês de abril de 2018, a Prof. Daniela Moreira de Carvalho realizou um curso na Itália na Universidade de Padova intitulado “Curso de Gestão de Pequenas e Médias Empresas (PYMES) e Desenvolvimento Local”. Essa incursão na Itália resultou na organização do evento em Garanhuns chamado Fórum Ítalo Pernambucano de PYMES no Agreste. Esse curso também serviu como subsídio ao projeto da Prof. Daniela financiado pelo CNPq.