Notícias da UFRPE

Subscribe to Notícias da UFRPE feed
Updated: 2 hours 30 min ago

Com divulgação das notas do ENEM, candidatos devem ficar atentos ao cronograma do SISU

Fri, 18/01/2019 - 13:35
Postado em sex, 18/01/2019 - 12:35

Com o resultado da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), divulgado pelo Ministério da Educação nesta sexta-feira (18/01), os candidatos que irão concorrer às vagas disponíveis no Sistema de Seleção Unificado (SISU) 2019 devem ficar atentos ao cronograma do processo seletivo. As inscrições devem ser realizadas, exclusivamente, no portal do SiSU - http://sisu.mec.gov.br -, no período de 22 de janeiro a 25 de janeiro de 2019.

A UFRPE oferta 45 cursos de graduação presencial no SISU 2019.1, num total de 3.980 vagas para o 1º e o 2º semestres letivos. São 2.100 vagas no campus Dois Irmãos/Recife, 560 na Unidade Acadêmica de Garanhuns (UAG), 720 na Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST) e 600 vagas na Unidade Acadêmica do Cabo de Santo Agostinho (UACSA).

Para se inscrever e concorrer aos cursos, é necessário ter feito o Enem em 2018. O candidato não pode ter tirado zero na redação. Notas de outras edições do Enem não são aceitas.

No site do SiSU, já é possível encontrar as vagas disponíveis nos cursos das universidades. Para o SISU 2019.1, a UFRPE terá como novidade o curso de Engenharia Ambiental, que ofertará 80 vagas, sendo 40 na primeira entrada e 40 na segunda.

Veja os cursos de graduação presencial neste link: http://www.ufrpe.br/br/graduacao.

Confira abaixo os editais do SISU 2019, o Termo de Adesão, entre outros documentos importantes referentes ao ingresso nos cursos de graduação presencial da UFRPE.

EDITAIS E ANEXOS

TERMO DE ADESÃO

FORMULÁRIOS DE MATRÍCULA UFRPE

MODELO DE PROCURAÇÃO

PORTARIAS

 

Documentos exigidos para matrícula (por modalidade de concorrência)

  • A0 - Ampla Concorrência
  • L1 - Candidatos com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L2 - Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L5  - Candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L6 - Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L9 - Candidatos com deficiência que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L10 - Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, que tenham renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L13 - Candidatos com deficiência que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • L14 - Candidatos com deficiência autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).
  • B681 - Ação Afirmativa: EXCLUSIVO para os Candidatos que tenham cursado no Colégio Técnico Dom Agostinho Ikas - CODAI, vinculado à UFRPE conforme os itens A,B e C seguintes: (A: ensino médio integralmente no CODAI), ou (B: ensino médio integrado ao técnico integralmente no CODAI), ou (C:ensino técnico cursado integralmente no CODAI junto ao ensino médio cursado integralmente em qualquer escola pública).
  • B682 - Ação Afirmativa: EXCLUSIVO para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino médio em qualquer uma das escolas situadas nas microrregiões do Agreste ou do Sertão de Pernambuco.

Tartarugas marinhas são tema de livro infantil lançado por pesquisadoras da UFRPE

Thu, 17/01/2019 - 14:31
Postado em qui, 17/01/2019 - 13:31

 


Ednilza Maranhão, professora do Departamento de
Biologia, é uma das autoras de "Arley e as tartarugas".

Julianne Mendonça - texto e fotos
julianne-ccs@ufrpe.br

Educar para preservar! Esta é a proposta do livro ‘Arley e as tartarugas’, de autoria da estudante Ana Luisa Souza e da professora Ednilza Maranhão, ambas vinculadas ao Departamento de Biologia UFRPE. A publicação foi lançada em novembro de 2018, na VII Reunião da RETAMANE (Rede de Conservação de Tartarugas Marinhas do Nordeste do Brasil) e é resultado da monografia de Ana Luisa.

Publicado pela Editora Universitária da UFRPE, o livro conta a história real de Arley, um menino que resolveu contribuir para a preservação das tartarugas e acabou fundando uma organização não governamental para cuidar dos animais que encontrava na praia. A ideia do livro surgiu de uma parceria com a ONG EcoAssociados, de Porto de Galinhas, onde os discentes de graduação e pós-graduação do curso de Ciências Biológicas, da UFRPE, participam das atividades.

Dentro deste histórico, Ana Luisa, que na época fazia bacharelado em Ciências Biológicas, trabalhou na Escola Educandário Divino Mestre, em Ipojuca, quando direcionou seus conhecimentos sobre educação ambiental e preservação dos animais marinhos para as crianças do fundamental 1.

O desenvolvimento da prática de conscientização dentro das salas gerou a participação ativa das crianças na construção do livro. Para entender a importância dos animais marinhos, as crianças passaram por um processo de 4 etapas para colocar o aprendizado em prática: visitaram a ECO Associados, conheceram mais sobre a história das tartarugas e sobre cuidados com os animais que estavam machucados e depois foram à praia para ver os filhotes de tartaruga nascendo. Na quarta, e última, etapa, os estudantes fizeram desenhos para representar a experiência e tudo o que aprenderam. O material produzido pelos alunos passou por uma curadoria e alguns dos desenhos vieram a ilustrar o livro.

A obra produzida por Ana Luisa e Ednilza serviu para alcançar a comunidade, após perceberem que as crianças do próprio contexto litorâneo não conheciam a história dos animais. “Muitas das crianças que moram no contexto litorâneo não conheciam a importância desses animais, então percebemos que a educação ambiental é urgente e pontual. Tentamos desenvolver um material para sensibilizar esse público, assim como os demais moradores da região também” explica a professora.

Além da conscientização ambiental, ‘Arley e as tartarugas’ surge como uma ferramenta didática para falar sobre o tema e estimular a conservação das espécies, reforçando também a importância da leitura. “Nosso diferencial é mostrar que desde cedo temos atores fazendo a diferença, mostrando nossas grandezas naturais que precisam de cuidados por meio de oficinas de leituras. Queremos estimular essas descobertas por meio dos livros”, afirma Ednilza.

O objetivo das escritoras é distribuir o livro por outras escolas de Ipojuca e treinar professores da pré-escola e do fundamental 1 para oficinas de leitura para este público. ‘Arley e as tartarugas’ será relançado pela ECO Associados em fevereiro de 2019, em algumas escolas da região e em junho, na Fliporto.

UFRPE recebe seminário interdisciplinar de Geografia

Wed, 16/01/2019 - 12:27
Postado em qua, 16/01/2019 - 11:27

Nesta sexta-feira, 18/08, a Universidade Federal Rural de Pernambuco promove o primeiro Seminário Integrador Interdisciplinar: população, economia e espaço geográfico. O evento acontecerá no Auditório do Centro de Ensino de Educação (CEGOE/UFRPE). As inscrições podem ser feitas pelo http://bit.ly/2rjotV9

O Seminário Integrador Interdisciplinar é uma atividade de extensão surgida a partir da iniciativa dos alunos das disciplinas Geografia Humana e Econômica (Ciências Sociais) e Geografia da População (Ciências Sociais/Economia). A orientação das atividades estão sob comando do professor Otávio Santos, do Departamento de História (DHist). O objetivo é debater o papel dos conhecimentos geográficos na formação do cientista social e do economista. A proposta ainda pretende refletir sobre processos sociais contemporâneos que influem diretamente no papel das ciências humanas. Polarização política e a vitória eleitoral de partidos conservadores em diversos lugares do mundo serão alguns temas abordados.

Mais informações podem ser conferidas na página do evento: https://web.facebook.com/events/2215657141801461/

Confira toda PROGRAMAÇÃO abaixo:

14h-16h - Mesa de abertura

“O papel das ciências humanas em tempos de insensatez”:

Ementa: Qual o papel das ciências humanas em um período marcado pela polarização política e pela defesa apaixonada de pontos de vista que dificultam o diálogo e até mesmo a convivência entre as pessoas? Qual o papel dos cientistas sociais, historiadores, economistas e geógrafos em um contexto social pautado pela intolerância, pela incerteza informacional e pela dificuldade de pensar criticamente? Como incentivar a intelectualidade a endossar o papel da ciência na compreensão do mundo humano? Essas são algumas das principais questões que serão tratadas nesta mesa, cujo objetivo é lançar luz sobre o acirramento das polarizações políticas no Brasil e no mundo a partir de diferentes perspectivas dentro das ciências humanas.

- Prof. Dr. José Carlos Gomes Marçal (DECISO/UFRPE)

- Prof.ª Dr.ª Alessandra Uchôa Sisnando (DECISO/UFRPE)

- Prof. Dr. Otávio Augusto A. dos Santos (DEHist/UFRPE)

16h-16h30 - Café

16h30-18h - Painel

“O pensamento de Milton Santos e as ciências humanas”

Ementa: A obra miltoniana é extremamente rica e necessária à compreensão da realidade brasileira, sobretudo no que diz respeito as suas desigualdades territoriais. Neste sentido, o objetivo deste painel é apresentar alguns dos principais elementos do pensamento deste geógrafo para a compreensão do mundo contemporâneo e, em especial, para a reflexão da realidade brasileira.

- Prof.ª Dr.ª Mariana Zerbone Albuquerque (DEHist/UFRPE)

- Prof. MSc. Thiago Adriano Machado (doutorando UFF)

18h-19h - Lanche coletivo / Atividade cultural

19h-21h - Exposição e apresentação das pesquisas discentes no hall do CEGOE/UFRPE

UFRPE promove IV encontro de Literatura de Autoria feminina na próxima quinta (17/01)

Tue, 15/01/2019 - 19:03
Postado em ter, 15/01/2019 - 18:03

O IV Encontro de Literatura de Autoria Feminina (LITERAUFEM) movimenta o Centro de Ensino de Graduação (Cegoe) da UFRPE na tarde da próxima quinta-feira (17/01). O evento, que inicia às 15h e segue as 20h, terá em sua programação rodas de diálogo, apresentações culturais, declamações de poemas, sorteios de livros, entre outras ações.

Concepção, organização e realização do O LITERAUFEM é das(os) alunas e alunos da disciplina Literatura de Autoria Feminina, ministrada pelo Prof. Iêdo Paes.

Confira abaixo a programação do evento.

 

Sites da UFRPE indisponíveis nesta quarta-feira (16/01), das 12h às 14h

Tue, 15/01/2019 - 10:43
Postado em ter, 15/01/2019 - 09:43

Na próxima quarta-feira (16/01) o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI) realiza manutenção nos seus websites. Neste período haverá interrupção do serviço das 12h às 14h.

Ficarão sem acesso a portal institucional da UFRPE (http://www.ufrpe.br) e os demais websites vinculados à Universidade.

Os serviços de Internet, E-mail, AVA e SIG@ funcionarão normalmente.

Núcleo do Cuidado Humano inicia atendimento telefônico a partir da próxima segunda (14/01)

Fri, 11/01/2019 - 20:21
Postado em sex, 11/01/2019 - 19:21

Por Tarisson Nawa
tarisson-ccs@ufrpe.br


   Hugo Monteiro fala durante o lançamento do Núcleo do Cuidado
   Humano, em evento ocorrido no mês de dezembro. O vice-reitor,
   Marcelo Brito Carneiro Leão, e a reitora, Maria José de Sena,
   participaram da solenidade.

A partir da próxima segunda-feira (14/01), o Núcleo do Cuidado Humano (NCH) da UFRPE inicia os trabalhos de escuta via telefone. O canal de comunicação será para atendimento da comunidade acadêmica - discentes, técnicos e professores -, por meio do ramal 3320.6640. A linha preventiva busca auxiliar pessoas da comunidade universitária em situação de sofrimentos e vulnerabilidades emocionais, contando com profissionais capacitados em escuta pelo Centro de Valorização da Vida (CVV).

Durante o mês de janeiro, o atendimento será feito exclusivamente via telefone, nos turnos da manhã e tarde. Em breve, o Núcleo deverá expandir a ação também para o período da noite, além de realizar atendimentos presenciais previamente agendados na sala de acolhimento que fica no térreo do Centro de Ensino de Graduação.

O Núcleo foi lançado em dezembro do ano passado, com uma mesa temática de debates e a inauguração de um espaço de acolhida, localizado no Centro de Ensino de Graduação. O início do trabalho de escuta busca dar seguimento às atividades do NCH, e também está alinhada às ações do Janeiro Branco, campanha de nível nacional que busca chamar a atenção da importância dos cuidados com a saúde mental.

O professor Hugo Monteiro, do Departamento de Educação (DEd), explica que não se pode dissociar a saúde mental da saúde física: ambas caminham juntas. “Na medida em que é pensado a educação mental, o corpo também é beneficiado”, declara o professor ao destacar outras atividades que dão conta do calendário de atenção à saúde mental.

Na semana seguinte (23/01) à abertura do telefone para escuta, o Núcleo promove uma oficina sobre intuição e conhecimento, aberta ao público geral, com o professor Alessandro Machado, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A ação será ministrada na Sala da Progepe, que fica no Centro de Ensino de Graduação, com capacidade para 45 pessoas, sendo aberta à comunidade externa à universidade. A ocupação acontecerá por ordem de chegada. O Evento é gratuito.

A proposta da aula é ensinar como utilizar a intuição enquanto método para construir conhecimento e analisar informações. Hugo assinala que por muito tempo foi usado a razão como forma dominante de produção do saber, mas que agora há a possibilidade do uso da intuição para construção do conhecimento científico. A proposta é usar metodologias outras que extrapolem a forma cartesiana de construção do saber acadêmico.

A ideia central é trabalhar a educação das emoções. “Se nós educarmos nossas emoções muito provavelmente não teremos adoecimentos mentais”, enfatiza Hugo, que defende as atividades do NCH como um espaço para desconstruir a tecnicidade acadêmica e utilização de outros métodos que não gerem adoecimento.

Ao trabalhar educação mental, a oficina abarcará a dimensão física - o corpo humano. O professor moderador desenvolveu a metodologia de trabalho com base na metáfora da feitura de um pão. O método será aplicado à oficina com a proposta de usar as mãos e a feitura da massa para pensar um conhecimento não cartesiano. Coração, sensibilidade, emoções serão trabalhados na dimensão prática da oficina.

O Núcleo do Cuidado Humano

O Núcleo do Cuidado Humano é uma política institucional de valorização da vida, a partir de um movimento transdisciplinar e ações sistemáticas de escuta e acolhimento. O objetivo da política é integrar as iniciativas e práticas voltadas à saúde mental já existentes na UFRPE e também estruturar uma rede de terapeutas credenciados para posterior encaminhamento nos casos indicados.

Embora não esteja na proposta inicial o atendimento terapêutico e/ou médico, o Núcleo, além de uma equipe de oito pessoas treinadas pelo CVV, conta com o suporte de uma rede de profissionais, incluindo psicólogas do Departamento de Educação (DEd) e do Departamento de Qualidade de Vida (DQV). Também serão promovidas atividades ligadas a trabalhos de valorização da vida e terapias sistêmicas.

Pré-Enem gratuito da UACSA abre inscrições a partir do dia 13/01

Thu, 10/01/2019 - 19:00
Postado em qui, 10/01/2019 - 18:00

A partir de 13 de janeiro serão abertas as inscrições para 120 vagas, gratuitas, aos estudantes do Ensino Médio de Escolas Públicas do Cabo de Santo Agostinho. As disciplinas ofertadas serão Química, Física, Matemática e Biologia, além de oficinas de Redação, Literatura, Inglês, Espanhol e História. As inscrições para a seleção podem ser feitas no site https://projetopreenemuacsa.wixsite.com/extensa.

As aulas serão aos sábados, das 8h às 12h, na Unidade Acadêmica do Cabo de Santo Agostinho (UACSA) da UFRPE, localizada na Rod. Armínio Guilherme, 2635 - Garapu.

O projeto tem a parceria da Pró-Reitoria de Extensão (PRAE).

O Pré-ENEM UACSA busca fortalecer conhecimentos para auxiliar estudantes no acesso ao Ensino Superior. Mais informações podem ser conferidas no edital de seleção no endereço eletrônico do projeto.

DMFA divulga edital de monitoria para área de Bioquímica e Biofísica

Tue, 08/01/2019 - 12:57
Postado em ter, 08/01/2019 - 11:57

A área de Bioquímica e Biofísica do Departamento de Morfologia e Fisiologia Animal da Universidade Federal Rural de Pernambuco (DMFA/UFRPE) informa que estão abertas as inscrições para o programa de Monitoria Remunerada e Voluntária na disciplina de Bioquímica. As inscrições serão feitas na Secretaria do DMFA, no período de 04 a 08 e fevereiro, das 9h às 11h e das 14h às 17h.

A seleção será realizada no dia 14 de fevereiro, às 9 horas com uma prova escrita.
Os Candidatos interessados devem atender aos seguintes requisitos: Ter sido aprovado na disciplina de bioquímica com média igual ou maior que 7,0 (sete); ter coeficiente de rendimento superior a 5,0 (cinco); apresentar disponibilidade de horário para realização da monitoria; não possuir histórico de desligamento com o Programa de Monitoria da UFRPE; não possuir outra bolsa, de qualquer tipo, seja na própria Universidade ou fora dela e não possuir nenhum vínculo empregatício.

Mais informações estão no edital em anexo.
 

Anexo:  DMFA - Concurso Monitoria 02.2019.doc

PRPPG divulga edital extra para cursos de pós-graduação. Inscrições até 31/01

Mon, 07/01/2019 - 20:11
Postado em seg, 07/01/2019 - 19:11

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG) lançou, nesta segunda-feira (07/01), o edital de seleção extra 4 dos Programas de Pós-Graduação da UFRPE. São oferecidas um total de 35 vagas de Mestrado entre os programas de Botânica, Ciências Florestais, Engenharia Física, Produção Vegetal e Sanidade e Reprodução de Ruminantes, sendo 8 destas reservadas aos candidatos pretos, pardos, indígenas, com deficiência ou trans, além de 4 vagas extras exclusivas para os Servidores da UFRPE.

Além disso, são ofertadas 14 vagas de Doutorado entre os programas de Entomologia Agrícola e Etnobiologia e Conservação da Natureza, sendo 3 destas vagas reservadas aos candidatos pretos, pardos, indígenas, com deficiência ou trans, além de 2 vagas extras exclusivas para os Servidores da UFRPE.

As inscrições se iniciaram às 12h desta segunda (07/01) e seguem até as 23h59 do dia 31 deste mês, devendo ser realizadas através da página de editais www.editais.prppg.ufrpe.br, onde também podem ser encontradas as Normas Complementares para inscrição nos programas.

A taxa de inscrição custa R$50,00. Candidatos podem solicitar isenção da taxa até o dia 21 de janeiro.

Alunos especiais

A PRPPG também lançou o edital de seleção de alunos especiais para os programas de Educação, Cultura e Identidades, Matemática em Rede Nacional e Zootecnia. Os candidatos podem encontrar as Normas Complementares de cada programa na página www.editais.prppg.ufrpe.br e devem realizar sua inscrição através de processo aberto no setor de Protocolo até o dia 21 deste mês. 

Arquivos: 

 edital_ufrpe_2019-1_extra_4.pdf

 edital_ufrpe_aluno_especial_2019.1.pdf

 

 

Identificação do primeiro registro de onça-parda com leucismo é feito por pesquisador da UFRPE

Mon, 07/01/2019 - 17:57
Postado em seg, 07/01/2019 - 16:57

Por Julianne Mendonça
julianne-ccs@ufrpe.br

Pesquisadores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (PARNASO) divulgaram, no início de dezembro, o primeiro registro mundial de uma onça parda com leucismo. Segundo os estudiosos, o ineditismo do achado reforça a importância de conhecer mais sobre o leucismo, com a realização de novos estudos genéticos e evolutivos da coloração animal em diferentes espécies.

A imagem havia sido captada em 2013, pela equipe do PARNASO, mas a identificação do leucismo na onça-parda só foi realizada posteriormente, pelo Dr. Lucas Gonçalves, pesquisador vinculado ao Departamento de Biologia da UFRPE, sendo divulgada em todo o Brasil em dezembro de 2018. Os resultados da pesquisa, intitulada “First record of leucism in puma from Serra dos Órgãos National Park, Brazil” serão disponibilizados até o fim de janeiro de 2019, pela revista CatNews, da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

“É uma descoberta cientificamente incrível. Primeiro por tratar-se de um registro único para um animal da fauna brasileira, e por ser o primeiro caso em felinos do Brasil. O achado abre as portas para estudos genéticos e evolutivos da coloração animal em populações naturais, de relevância adaptativa no ambiente e aspectos de conservação”, explica Lucas Gonçalves, pesquisador vinculado ao Departamento de Biologia da UFRPE, responsável pela identificação do leucismo na da onça-parda.

Segundo o pesquisador, o leucismo é uma variação fenotípica de caráter recessivo que resulta na despigmentação da pelagem dos animais. Sua frequência é baixíssima na população natural. Diferentemente do albinismo, que atinge todos os tecidos do animal, o leucismo restringe-se apenas às camadas com pêlos e não causa maior sensibilidade à luz do sol.  É um tipo raro de alteração em mamíferos, embora já tenha sido registrado em leões e tigres.

De acordo com Gonçalves, o estudo do leucismo não se restringe apenas aos felinos. “Eu e o professor Dr. Martín Montes, da UFRPE, estamos estudando outros grupos animais também. No momento já temos dados de animais como morcegos, canídeos, marsupiais, primatas, sempre com foco nas questões relacionadas a colorações e ambientes”, reforça o pesquisador.

A pesquisa

A imagem, feita em 2013, faz parte do ‘Inventário e monitoramento de mamíferos de médio e grande porte no Parque Nacional da Serra dos Órgãos’, desenvolvido entre 2010 e 2016, envolvendo 24 estações de amostragem. O inventário é uma colaboração do PARNASO, que entrou para o projeto de pesquisa dos fenótipos polimórficos que já vinha sendo desenvolvido por Lucas Gonçalves e pelo professor Martín Montes.

O registro foi feito através de armadilhas fotográficas posicionadas para capturar a imagem do animal, por meio de sensores de presença e temperatura.  A onça em questão trata-se de um jovem macho. Embora o animal não tenha sido avistado nos anos seguintes, Lucas acredita que ainda há possibilidades de estudá-lo futuramente. “Em 2016 o monitoramento parou por falta de verbas. Esperamos retomá-lo em 2019, mas estamos trabalhando com a possibilidade de reencontrar a onça e depois fazer a captura para análise genética”.

Identificar onde a onça está é um trabalho que ajuda na conservação da fauna do PARNASO. “Pode ser que futuramente apareçam mais onças brancas na população do parque”, acredita o pesquisador.

 

Pages